quinta-feira, 1 de março de 2018

POLÊMICA DA SEMANA - CLAIRE WILLIAMS DEFENDE TETO DE GASTOS NA F-1


Claire Williams acredita que o Liberty Media terá problemas para convencer
 Ferrari e Mercedeo teto de gastos. (Foto: Williams)


Claire Williams, chefe da equipe Williams, acredita que a Fórmula 1 precisa implementar rapidamente um teto de gastos para as equipes, mas que o Liberty Media, grupo proprietário da categoria, terá muito trabalho para alcançar este objetivo. A empresa comandada por Chase Carey busca equilibrar financeiramente as equipes, visando uma disputa mais igualitária na pista.


“Quando se trata de finanças, um limite de gastos e orçamento, como todo mundo sabe e temos dito, apoiamos completamente um limite na Fórmula 1. Sempre digo que 300 milhões por ano somente para colocar carros no grid é uma quantidade estúpida de dinheiro, e não é sustentável para o futuro. Sem dúvidas, isso não é feito para as equipes independentes como a nossa”, disse Claire, em entrevista ao site americano Motorsport.com.

 “Como vamos competir quando estamos correndo com 150 milhões, ou 120 milhões de verdade, contra equipes com orçamentos que quase triplicam o nosso? E imagino que nós, os fãs da categoria, querem ver um grid muito mais competitivo, e só se pode chegar nisso com um esporte mais equilibrado financeiramente”, seguiu a dirigente da equipe de Grove.

 Embora reconheça que um limite de gastos na Fórmula 1 seja importante, Claire Williams sabe também que conseguir convencer Ferrari e Mercedes, equipes que recebem mais dinheiro atualmente no principal campeonato do automobilismo mundial, será uma tarefa das mais complicadas. Para a representante da Williams, o Liberty Media precisará lidar com dificuldades como essas. 

 “Acredito que seja responsabilidade do Liberty administrar esta situação e tentar encontrar uma solução que funcione para todos, o que é uma situação difícil. Me alegra não estar na situação de Chase neste momento, mas sei que todos têm os melhores interesses neste esporte no coração em vez da ganância e benefício pessoal. Devemos observar o futuro da categoria e projetá-las para as próximas gerações”, seguiu Claire.

 “Essa é a responsabilidade de todos, e para fazer isso, acreditamos que os limites de orçamento devem entrar em vigor em 2021”, completou.

 Foto: Getty Images

Fonte de pesquisa e reprodução: racingonline


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Deixe aqui seu comentário. Obrigado!

TV MOTOR

TV MOTOR

ESPECIAL FAMÍLIA PIQUET - EPISÓDIO 1 - MOTORSPORT.COM BRASIL


PODERÁ GOSTAR TAMBÉM

IMAGEM DA SEMANA - RADAR VERDE-AMARELO: CÂMARA NO PÓDIO, PIETRO ESTREIA NA INDY

Mineiro da F2 deixa rodada de abertura no terceiro lugar no campeonato; brasileiros também estiveram presentes na Moto2 e Super GT japonês


O fim de semana nas pistas teve a presença de pilotos brasileiros em diversos continentes. Sérgio Sette Câmara deu início à campanha da F2 com dois pódios, o que o deixou no terceiro lugar na tabela de pontuação.


"Não foi ideal largar em sexto. Eu sabia que precisava me concentrar na largada, porque era bem provável que alguém cometesse um erro. E foi o que aconteceu. Muita gente estava insegura, e eu também. Ainda bem que tudo deu certo."


Fonte de pesquisa e reprodução: motorsport.com


POLÊMICA DA SEMANA - FERRARI E RED BULL TROCAM FARPAS POR POLÊMICA DE MEKIES

Horner insiste que Scuderia desrespeitou acordo ao contratar funcionário da FIA; Arrivabene se esquiva e diz que não podia descumprir as leis


Chefes de equipe na F1, Maurizio Arrivabene e Christian Horner iniciaram uma guerra de palavras sobre a mudança de Laurent Mekies da FIA para a Ferrari.


Horner, chefe da Red Bull, disse ao Motorsport.com nesta semana que a contratação de Mekies desrespeitou o acordo de cavalheiros feito entre os times sobre a contratação de funcionários da FIA, o que ganhou destaque com o episódio envolvendo Marcin Budkowski e a Renault.


Horner fez coro às queixas de Eric Boullier, da McLaren, que insistiu que as equipes respeitariam um período de 12 meses para qualquer antigo funcionário da FIA ou da administração da F1 que se juntasse a uma equipe.



Mekies, que ainda é empregado da FIA mas se afastou das atividades da F1, iniciará seu trabalho na Ferrari apenas seis meses após a mudança se tornar pública.


Arrivabene segue certo de que a Ferrari não desrespeitou nenhum acordo, e indicou que os demais chefes de equipe da F1 não deveriam ir a público e dizer o que se passa nas reuniões do Grupo Estratégico.


“Antes de tudo, não houve nada de errado. Estamos respeitando de forma absoluta às leis locais da Suíça, que foi onde Laurent foi contratado”, disse Arrivabene. “E, depois disso, fomos ainda além ao estabelecer um período de seis meses [as leis determinam três meses].”


Fonte de pesquisa e reprodução: motorsport.com


GP COMPLETO

GP COMPLETO

VÍDEOS INTERESSANTES, EDIÇÃO Nº 26 - ENTREVISTA COM FELIPE MASSA, NA "MURETA COM RUBITO"

GP INGLATERRA 2005

CINEMA NO BLOG

CINEMA NO BLOG

EM CARTAZ

EM CARTAZ

O CORREDOR FANTASMA

PROMOÇÕES/ CONCURSOS/ DINÂMICAS

SÉRGIO JIMENEZ - PILOTO STOCK CAR, VAI SORTEAR UM PAR DE ÓCULOS PARA OS FÃS QUE O ESCOLHEREM NO HER

SÉRGIO JIMENEZ - PILOTO STOCK CAR, VAI SORTEAR UM PAR DE ÓCULOS PARA OS FÃS QUE O ESCOLHEREM NO HER
Clique na imagem e saiba como participar.